Banda larga popular em até 90 dias

Posted by josemoutinho On junho - 30 - 2011

Uma boa notícias foi divulgada pela Agência Brasil, nesta quinta-feira (30/6): Em até 90 dias, as concessionárias de telefonia fixa deverão começar a disponibilizar para os clientes a internet com velocidade de 1 megabit por segundo (Mbps) a R$ 35,00 por mês.

Pelo acordo assinado, as operadoras Telefônica, Oi, Sercomtel e CTBC e o Ministério das Comunicações, o serviço de banda larga deverá estar disponível em todo o país e em cerca de 70% dos domicílios até 2014. A velocidade será aumentada para até 5 Mbps.

Para o ministro Paulo Bernardo (Comunicações), o acordo é um “grande negócio”, uma vez que o preço é a metade da média adotada no país.

O ministro informou, ainda, que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai votar até outubro um regulamento para estabelecer regras de qualidade para serem seguidas por todas as empresas de serviços de banda larga fixa e móvel. Em locais onde as empresas não conseguirem oferecer banda larga fixa, haverá a possibilidade de oferta de internet móvel.

Fonte: Revista Espírito Livre, com informações da Agência Brasil.

Banda larga a R$ 35 em julho

Posted by josemoutinho On junho - 2 - 2011

No momento em que o número de usuários da banda larga ultrapassou 40 milhões e há um estudo que prevê 153,6 milhões de usuários, em 2020, nada mais justo para que as empresas de telefonia evitem o famoso “olho gordo” e tenham uma visão de respeito aos usuários, a liberdade de acesso à informação, e, sobretudo, tenham visão de futuro. Em suma, urge a melhoria na qualidade de serviços e a custos mais realistas (baixos) com a forte demanda de usuários.

Notícias dão conta que, por parte do Governo Federal, a partir de julho algumas localidades terão serviço de internet banda larga com 1 megabit por segundo (Mbps) de velocidade por R$ 35, dentro do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

Segundo o ministro Paulo Bernardo (Comunicações), em pelo menos sete estados haverá isenção de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que pode baixar o preço para R$ 29,90.

De acordo com a Telebras, as primeiras localidades conectadas por meio do PNBL serão Samambaia (DF), Recanto das Emas (DF), Santo Antônio do Descoberto (GO), Anápolis (GO), Senador Canedo (GO) e Aparecida de Goiânia (GO).

O presidente da Telebrasil, Antônio Carlos Valente, destacou a evolução do setor de telecomunicações e disse que a massificação do acesso à internet não vai resolver os problemas de inclusão da sociedade brasileira. “Por mais importante que seja a conectividade, é fundamental a criação de mecanismos de incentivo à aquisição de computadores e a capacitação de usuários, estudantes e professores.”

Sobre as operadoras que ainda alimentam o “olho gordo” nos limitados e elitizados serviços de telecomunicações, o minisro Paulo Bernardo asseverou: “Como as empresas se conformam em oferecer serviços que só atendem a cerca de 20% da população? Não acho razoável. Isso se deve à renitente opção das empresas de oferecer serviços caros e atender pouca gente. E tem que ser o contrário, tem que oferecer serviço barato para muita gente. Podemos fazer muito mais que isso, e o mercado não pode só pedir dinheiro para o governo”.

O ministro falou na abertura do 55º Painel Telebrasil, promovido pela Associação Brasileira de Telecomunicações, nos dia 1º e 2/06, em Brasília.

Fonte: Revista Espírito Livre, com informações da Agência Brasil.

Novidades pela popularização da banda larga

Posted by josemoutinho On maio - 13 - 2011

A Agência Brasil noticiou que a Telebras divulgou no dia 12/5, último, o resultado do pregão eletrônico para contratação de serviços de banda larga, de acordo com o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). Urge a adoção de uma banda larga de qualidade e a preço popular.

A notícia sobre a Telebras deu conta de que o preço total dos contratos, após negociações no pregão, será de R$ 70,8 milhões.

Numa licitação que envolveu 12 lotes, a Intelig venceu seis. Ela atuará em São Paulo, Brasília, Fortaleza e Rio de Janeiro. A Embratel arrematou três lotes e vai atender as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A GVT atuará em Brasília e Fortaleza.

A Agência Brasil havia noticiado que as empresas de telefonia terão que entregar, em junho próximo, para o Governo Federal uma proposta para o uso de recursos de fundos setoriais de universalização da telefonia, para a expansão da banda larga no país.

A implantação e os custos do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) foram debatidos no dia 10/5, durante audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados.

O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) confirmou que foram arrecadados R$ 45 bilhões para oferecer internet em alta velocidade. Esses recursos são do Fundo de Universalização das Telecomunicações (Fust), do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) e do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel).

O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Nelson Fujimoto, disse que os R$ 7 bilhões que estão programados são apenas para fazer a estrutura de rede (“backhoul”) nos municípios e não para promover o acesso do consumidor final à rede, que é a parte mais cara do processo.

O superintendente de Universalização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), José Gonçalves Neto, disse que a agência está trabalhando para ampliar o acesso ao serviço de banda larga, com a destinação de faixas de frequência e a revisão de regulamentos.

A Telebras acertou com a Eletrobras o valor (não revelado) a ser pago pelo uso das redes de fibras óticas que serão utilizadas para implementar o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL). O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, confirmou o acordo. O próximo passo será fechar a negociação para o uso da rede de fibras óticas da Petrobras.

Fonte: Revista Espírito Livre, com informações da Agência Brasil.

Compra do Skype pela Microsoft gera receios

Posted by josemoutinho On maio - 11 - 2011

A Microsoft contrariou rumores de parceria e anunciou a compra do Skype, segundo informaram todas as agências de notícias internacionais. O acordo, que custou US$ 8,5 bilhões, foi considerado a maior compra já feita pela Microsoft. O Skype havia sido comprado pelos proprietários do eBay por US$ 2,6 bilhões, em 2006.

Fontes reportaram que entre os compradores interessados pelo Skype estavam Facebook e Google, mas a Microsoft ganhou o “leilão”.

Tal compra, com certeza, gerará uma série de ponderações sobre o futuro do Skype com a Microsoft, que historicamente restringe seus serviços em suas plataformas proprietárias. Especialistas dão conta de que o sucesso do Skype reside no fato deste rodar em várias plataformas e dispositivos, mesmo sendo proprietário.

O Guia do Hardware, liderado por Carlos Morimoto, criador da saudosa distribuição Linux, Kurumin, fez a seguinte observação: “a comunidade de software livre já não via o serviço com bons olhos, agora a coisa deve ficar pior ainda”.

O GH lembra, ainda, que o Skype havia perdido a parceria que permitia que ele fornecesse números de telefone fixos no Brasil. Um post no blog oficial diz que já fecharam acordo com um novo parceiro, o GT Group (de São Paulo) e que os números online continuarão sendo fornecidos, precisam apenas de um curto espaço de tempo para os ajustes necessários.

Segundo lembrou Morimoto, o Skype pertencia ao eBbay, que “não sabia bem o que fazer com o serviço e nunca o conseguiu fazer dar algum lucro. Pelo contrário, apesar da oferta de serviços com o Skype-in e o Skype-out, o serviço acumulava dívidas de US$ 686 milhões, que naturalmente foram saldados com folga usando parte do cheque da Microsoft”.

O Skype possui 663 milhões de usuários, sendo o serviço de telefonia mais utilizado, superando as grandes operadoras de telefonia, possuidoras de algumas dezenas de milhões de assinantes.

Morimoto lembrou, também, que quem usa o Skype no Linux ou no MacOS tem também motivos para se preocupar. “Apesar da promessa da Microsoft de que ‘manterá o desenvolvimento dos clientes para outros sistemas’, fica claro que eles não receberão muito carinho”.