Revista Espírito Livre – Edição #057

Posted by admin On abril - 22 - 2015
Revista Espírito Livre - Ed. #057 - Dezembro 2013

Revista Espírito Livre – Ed. #057 – Dezembro 2013

Revista Espírito Livre - Ed. n #057
Revista Espírito Livre - Ed. n #057

A última edição da Revista Espírito Livre do ano de 2013 vem apresentar algumas das importantes contribuições do 5º Fórum Espírito Livre, ocorrido de 03 a 05 de setembro de 2013, durante a 1ª Semana de Ciência, Tecnologia e Inovação de São Mateus e Região Norte do Espírito Santo, em São Mateus/ES. Durante dos dias do evento, os participantes puderam ter contato com diversas palestras que retrataram por diversos aspectos, iniciativas de código aberto e de software livre, consagradas em todo o mundo. Destaque para as apresentações de cases envolvendo o uso do LibreOffice, GNU/Linux e tantos outros softwares que já fazem parte de nosso cotidiano. Diego Neves também apresentou diversas contribuições relacionadas a hacking, assim como Ramilton Gomes que deixou claro que nossas ligações de VOIP podem estar correndo perigo.

Gilberto Sudré também nos apresentou um importante panorama de uso das redes sociais e a importância de se fazer um uso consciente destas ferramentas que já fazem parte do dia a dia da maioria de nós. Sávio L. Lopes convidou a todos a serem cidadãos criativos falando do uso de licenciamentos livres como o Creative Commons. Sávio esclareceu ainda algumas dúvidas relacionadas a direitos autoriais e a legislação brasileira neste aspecto.

Nesta edição experimentamos um novo formato de evento. O Fórum Espírito Livre aconteceu simultaneamente como uma atividade da 1ª Semana de Ciência, Tecnologia e Inovação de São Mateus e Região Norte do Espírito Santo. Isso permitiu que o público tivesse acesso a novos assuntos e possibilidades. Aproveito para agradecer aos organizadores deste evento, que abriram as portas para que a Rede Espírito Livre pudesse realizar o fórum em sua estrutura.

Difundir conhecimento através das palestras, das dúvidas esclarecidas e dos bate papos, é algo realmente ímpar.