124195.210917-5G

O desenvolvimento da quinta geração de internet móvel está a todo vapor. E o Brasil não vai ficar de fora desses investimentos, já que o país e a União Europeia fecharam um acordo para desenvolver o padrão 5G e a tecnologia necessária para comportar sua infraestrutura.

O acordo foi assinado nesta terça-feira (23) pelo comissário europeu de Economia e Sociedade Digitais, Günther Oettinger, e o ministro brasileiro das Comunicações, André Figueiredo. O objetivo é criar um padrão mundial para o 5G e identificar os serviços que possam usar esta rede, como os carros e outros objetos conectados e o vídeo online de alta definição.

“Depois de acordos fundamentais assinados com China, Japão e Coreia do Sul, a iniciativa de cooperação firmada com o Brasil constitui um novo passo de capital importância para a obtenção do 5G”, afirmou Oettinger, citado em um comunicado divulgado no Mobile World Congress 2016, que acontece esta semana em Barcelona, na Espanha.

“Nem Europa nem Brasil podem se permitir ficar à margem na era digital. Estes acordos internacionais vêm a complementar os esforços que estamos realizado para desenvolver a tecnologia na UE”, acrescentou o comissário.

O acordo entre Brasil e União Europeia mostram a importância em adotar a tecnologia desde já, pois sua oferta para o consumidor final também pode ser antecipada. De acordo com um relatório recente divulgado pela Ericsson, a expectativa é que, até 2020, sejam ativadas cerca de 150 milhões de conexões 5G no mundo todo. Testes preliminares mostraram que a quinta geração de internet móvel alcançou velocidades de 25 Gbps.

A Nokia também anunciou nesta semana que irá investir no 5G, principalmente para impulsionar negócios baseados na Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). Segundo Rajeev Suri, CEO da companhia finlandesa, a previsão é que as primeiras implementações comerciais já façam uso do 5G a partir do ano que vem.

Com informações de AFP e Canaltech.